Lançado nesta quinta, 10, “Tá Faltando Água” recebeu centenas de denúncias em poucas horas; similar às ferramentas voltadas para mobilidade, como Waze, aplicativo permite que usuário sinalize falta d’agua e visualize outras ocorrências, em tempo real, em SP; Ministério Público sinaliza que notificações podem servir como prova

São Paulo, setembro de 2015 – O aplicativo “Tá Faltando Água”, rede social de mobilização e conscientização que está mapeando a falta de água na região metropolitana de São Paulo, recebeu mais de uma notificação por minuto, desde seu lançamento, resultando em mais de 1276 denúncias de falta d’agua, na Região Metropolitana de São Paulo – esse número não considera sobreposições, ou seja, quando há mais de uma notificação no mesmo endereço.

Divulgado pela Aliança Pela Água, rede que reúne mais de 60 entidades entre ONGs, especialistas e movimentos sociais, usando os sistemas de geolocalização do próprio celular ou o CEP do imóvel atingido, o aplicativo permite às pessoas que registrem a falta d’agua em seu imóvel. Assim como no aplicativo de trânsito “Waze”, é possível ver a incidência de falta d’agua em tempo real em toda a cidade.

Estão disponíveis duas versões do mesmo aplicativo: uma na internet, desenvolvido pelo Instituto Sócio Ambiental (ISA), para acesso via navegador, e outro para celulares com sistema operacional Android e iOS (a partir de 25 de setembro), desenvolvido por voluntários da empresa Autbank.

Parte da campanha “Tá Faltando Água”, o aplicativo permitirá a produção de relatórios detalhados sobre a situação, divulgados periodicamente no site Sala de Crise (www.saladecrise.com.br), da Aliança Pela Água, em formato de relatório e base de dados aberta para análises independentes.

“Os relatórios criados a partir da notificações do aplicativo podem servir como elemento de prova para adoção de medidas judiciais pertinentes”, afirmou Ricardo Manuel Castro, promotor de Justiça do Estado de São Paulo.

A campanha “Tá Faltando Água” é um esforço conjunto de diferentes organizações que integram a Aliança Pela Água, e que vão envolver suas redes, além de promover encontros e aulas públicas em diferentes regiões. Conta ainda com a adesão do Coletivo de Luta pela Água, que reúne organizações e movimentos sociais.